A Quarta Revolução Industrial já está acontecendo




Pesquisa realizada pela Cisco mostra que esse novo mercado deve gerar US$ 14,4 trilhões em oportunidades de negócios no setor privado até 2022.

Relógios inteligentes, óculos de realidade aumentada, esses são apenas alguns exemplos de uma nova era tecnológica, a chamada Internet of Everythings (IoE), ou Internet de Todas as Coisas, apontada por especialistas como a Quarta Revolução Industrial.

O objetivo da IOE é conectar pessoas, processos, dados e coisas que ainda não estão conectadas. Saber como se aproveitar dessa nova mudança de paradigma pode ser o diferencial para sua empresa, gerando novos negócios, economia e aumento de produtividade.

De acordo com pesquisa realizada pela Cisco, esse novo mercado deve gerar US$ 14,4 trilhões em oportunidades de negócios no setor privado e outros US$ 4,6 trilhões no setor público entre 2013 e 2022. Além disso, a melhor utilização de ativos pode gerar uma economia de US$ 2,5 trilhões.

A Cisco tem trabalhado em conjunto com outras empresas com o objetivo de desenhar essas redes do futuro. No Brasil, a empresa criou um Centro de Inovação, localizado na cidade do Rio de Janeiro. Com laboratório, data center, salas de incubação e de colaboração de última geração, o Centro de Inovação Cisco ajuda organizações locais e mundiais a melhorar o resultado de seus negócios aproveitando o conceito da Internet de Todas as Coisas (IoE).

O primeiro passo para fazer parte dessa revolução é criar sistemas, produtos e serviços cada vez mais integrados. E o Cisco Unified Computing System (UCS) é uma peça chave para empresas que não querem ficar para trás nesse momento de transição. Utilizado por mais de 43.000 usuários únicos em todo mundo, o UCS é projetado com a ideia de unificar e simplificar os Data Centers, que é o cérebro da sua empresa, o local onde toda a informação está armazenada.

E o objetivo dessas tecnologias não é mudar apenas o setor produtivo, mas a vida das pessoas. No ano passado, a empresa criou o Desafio Cisco de Inovação Urbana, que selecionou cinco startups para participar de um processo de aceleração, apoiado pelo Centro de Inovação da Cisco.

O objetivo desse desafio era ajudar essas empresas a implantarem suas soluções inovadoras no complexo urbano Porto Maravilha, projeto de revitalização portuária do Rio de Janeiro, que faz parte de obras realizadas para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Fonte | Infomoney.