Internet de Todas as Coisas




Quando a Internet surgiu, absolutamente tudo mudou e, atualmente, a única certeza é a mudança constante, ainda que incerta.

Uma nova Era

Na verdade, a Internet tem apenas 8.000 dias de idade e há dez anos não havia Facebook, Twitter, YouTube ou Instagram. E se contarmos mais dez anos para trás, nem a Internet comercial existia. A evolução ocorre cada vez mais rápido e de forma contínua. Enfim, já estamos vivendo uma nova era! Mas tudo isso é apenas o começo, já que 99% das coisas no mundo físico ainda estão desconectadas…

Para ligar objetos do dia-a-dia à Internet e às grandes bases de dados, é necessária uma combinação de um sistema eficiente de identificação e do uso de tecnologias sensoriais. Desta forma, é possível registrar os dados sobre cada uma das coisas e detectar mudanças em sua qualidade física. E com o avanço da miniaturização e nanotecnologia, cada vez mais pequenos objetos terão a capacidade de interagir e se conectar.

Assim, a inteligência própria de cada objeto aumenta o poder da rede em devolver a informação processada para diferentes pontos.

A combinação de todos estes elementos viabilizou o conceito da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), que liga os objetos de um modo sensorial e inteligente. Os principais benefícios são a informação integrada dos objetos de uso diário com suas identidades eletrônicas e equipados com sensores que detectam mudanças físicas à sua volta.

Afinal o que é a Internet de Todas as Coisas?

A Internet das Coisas é um conceito em desenvolvimento. Ela é uma revolução tecnológica que representa a evolução da computação e tem como objetivo estabelecer uma interação entre objetos inteligentes por meio da Internet. É, resumidamente, a possibilidade de comunicação entre todos os objetos que existem – enviando e recebendo dados e informações com o intuito de facilitar a vida das pessoas.

Esse sistema estabelece conexões entre a Internet e diversos objetos, como automóveis, eletrodomésticos, celulares e outros aparelhos móveis. Em construção, a Internet das Coisas defende a criação de ambientes inteligentes responsáveis por realizar tarefas do nosso cotidiano – como verificar o que há em sua geladeira, fazer uma lista de itens faltantes, acessar o site do supermercado e fazer as compras por você.

Ou poderemos usar uma escova de dentes que faz um check-up virtual a cada escovação, ou as consultas médicas poderão ser prestadas remotamente, graças a diagnósticos mais rápidos e eficientes.

Poderemos usar uma roupa inteligente que se adapta às características da temperatura ambiente, ou ainda um sensor que indicará qual a manutenção que o nosso carro está precisando. A lista de aplicações é interminável.

Fonte: Canaltech, ConsumidoresDigital, TecnologiaIg.